Review – Sonic Generation

Depois de alguns sites “especializados” terem feitos seus reviews sobre este esperado jogo, o Gametócito também lasca o seu, e para isso conta com a estréia do texto do nosso enviado especial (from hell) Bruno Cabelo. Você pode sentar o sarrafo a vontade nele se discordar, mas não pode negar que ele não segue estereótipos.

Olá meu povo, pois bem, tenho que dizer que estou muito, mas MUITO decepcionado com esse jogo! Sonic Generations é mediano, e não toma o posto de Sonic Colors como “melhor Sonic pós-declínio” nem se fosse no universo Bizarro da DC.

Primeiramente, irei falar sobre os aspectos positivos – A trilha sonora (bem como o trabalho de sonoplastia no geral) é EXCELENTE (talvez o ponto mais forte do jogo) e toda parte sonora denota um cuidado e atenção gigantescos! Quando o Sonic moderno ativa o boost turbo créu 5 dele, os efeitos sonoros e a trilha sonora ficam distorcidos devido a alta velocidade, ou ainda quando o Sonic está na água os efeitos tornam-se abafados, achei esse tipo de cuidado algo muito legal.

Também o enredo, por incrível que pareça, está bastante agradável e, embora não vá ganhar nenhum Oscar, está lotado de referências aos outros jogos da franquia e ainda um tom meio que auto-satírico que nos entrega muitos momentos engraçadíssimos como o Sonic listando a quantidade de coisas absurdas e ridículas que já fez, ou ostentando uma tremenda facepalm quando presencia algum dos seus amiguinhos agindo de maneira retardada. Vale mencionar tb que alguns diálogos, e até mesmo cutscenes, mudam o Sonic que tu usar para navegar pelo HUB do jogo…

Os gráficos, assim como a direção artística, também estão bem bonitos e diria até mesmo elegantes. Claro, tudo isso desde q você considere que é um fucking jogo do Sonic, mas cenários como City Escape e Planet Wisp estão lindíssimos e agradáveis de olhar.
Claro, quando você desacelera e começa a andar calmamente pelos cenários, irá começar a reparar numas texturas pobres ou numa “geometria de cenário” mais simples, mas isso não tira o mérito do jogo nesse quesito.

PORÉM, dito tudo isso, também há muita coisa de errado com Sonic Generations, ou melhor, o quê há de errado nele são justamente os aspectos que contam mais, na minha opinião.

Primeiramente, tenho que mencionar o gameplay. Sabe como os jogos modernos do Sonic sempre foram sabotados por uma jogabilidade escorregadia e pouco responsiva? Pois então, tal ainda ocorre em Generations, ironicamente, tais defeitos são mais notórios no Sonic gordinho.

Falando em Sonic gordinho, MEEEEEEL DEEEEELS QUE DECEPÇÃO GIGANTESCA! O gordinho é, DE LONGE, a pior parte desse jogo. Pra começo de conversa, o gameplay dele é escrotíssimo e aliado ao level design as partes do gordinho tornam-se morosas e frustrantes.

Comparação dos Sonics

Como já mencionei, o gameplay é escorregadio e o Sonic ainda é bem “solto” e possui movimentação meio impressiva e um tanto incontrolável… o quê daria para “relevar” caso esse problema não se aliasse ao fato do Sonic gordinho possuir O PIOR PULO NA HISTÓRIA DOS GAMES DE PLATAFORMA! Sério mesmo, o Sonic gordinho salta menos que eu, que sou gordo e sedentário e se pular mais de 10cm estouro o joelho e nunca mais poderei voltar a andar.

Aí está a combinação que arruína a grande maioria das partes do Gordinho – o fato dos níveis “tradicionais” dele exigirem muitos saltos e precisão no controle. Só que, se você tenta controlar teu pulo parando de andar o Sonic perde o embalo e não salta nem 1 degrau, se você corre e salta “cedo” (leia-se, antes de estar na borda da plataforma) ele não alcança a plataforma seguinte, e se você corre e salta “tarde” (leia-se, quando o Sonic DEVERIA estar na borda da plataforma mas, como ele desliza feito faca quente em manteiga, ele já se encontra rumo ao abismo que é>>>>>>>>>>>>>Metallica”) ele simplesmente não pula pq você já ultrapassou o chão.

“Mas Cabelo, seu escroto mimimizento” diria você meu amigo “na demo o gameplay do gordinho não atrapalha e se encontra fodão!”, e pra isso eu te respondo que a demo te vende gato por lebre, já que a Green Hill Zone não está impregnada de poços sem fundo de morte intantânea, plataformas móveis que mudam de perspectiva, ou level design que consiste em mais do quê “andar da esquerda pra direita”, sendo que todos esses elementos estão presentes no resto dos níveis do gordo. Na Green Hill Zone você não precisa pular em sequência por plataformas desabantes, não precisa alternar entre as diferentes “gravidades” da água e da terra, não precisa ficar girando em uma plataforma móvel que passa por um caminho de espinhos, e por aí vai… Tudo isso que exige precisão e controle nos pulos.

Palhaçada por palhaçada, o ponto alto da jogabilidade é o Sonic moderno, pra quem era garantido ser o goleiro do Generations (Generations seria bom mesmo com ele, ou seria uma merda por causa dele), devo dizer que o Sonic moderno SALVOU de eu desistir dele e usar o DVD como frisbee.

Como as fases do moderno são mais “controladas” (no sentido de haver mais partes sobre trilhos ou pseudo-automáticas) os problemas com o gameplay não o afetam tanto quanto o gordinho (que é puro gameplay dependente do input do jogador); Para além disso, o moderno é extremamente mais rápido e seus níveis são melhor idealizados e variados, tudo isso passa uma maior sensação de adrenalina e ameniza em MUITO a frustração.

Ah claro! Devo dizer tb que o jogo é meio bugado. Na luta contra o 1º chefão, quando se iniciou uma cutscene onde o Sonic cai para o lugar q hospeda a 2ª parte da luta, ele morreu! Ou ainda os inúmeros casos onde ambos os Sonics atravessaram plataformas como se elas não existissem, ou ainda uma vez onde (com 115 anéis) eu encostei num robô vagabundo e MORRI AUTOMÁTICAMENTE.

Enfim, Sonic Generations é um prato de nostalgia, uma verdadeira prenda para os fãs do mascote da Sega no que conta conteúdo e atenção a apresentação do pacote. O jogo possui muitos extras como artworks, remixes das músicas (aliás, a trilha sonora é customizável), sem contar os tais easter eggs oferecidos pelo enredo do jogo. Mas como JOGO ele falha em corrigir grande parte dos problemas fundamentais que assolam a franquia desde os tempos do Megadrive. O quê posso dizer é que, se você é fã, se você ainda conseguiu gostar dos Sonics pós-declínio, esse jogo até que vale à pena já que dessa vez é só mesmo Sonic fazendo o que (deveria) faz melhor: Correr. Não há Kratos vestido de lobisomem, não há bestialidade, níveis de combate pseudo-Devil May Cry, nada disso… Agora, isso não isenta o jogo de seus inúmeros defeitos e uma parte jogável que, infelizmente, soterra em merda o grande cuidado despendido ao fan service.

Nota só pro Sonic moderno: 8

Nota só pro Sonic gordinho: 4

Nota Final: 6,5

Valeu meu povo!

Bruno Cabelo, também conhecido por Bruno Cozetti, mora em Portugal curte metal, animes e games, não necessariamente nesta ordem. Apesar dessa cara feia é boa gente, mesmo porque eu correria sérios riscos de dizer o contrário.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s